quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Astro Boy: O outro filho de Osamu Tezuka

                          Jetter Mars-Popy 1982, Astro Boy-Billiken 1989
   
     Um dos incontornáveis heróis da animação Japonesa é sem dúvida Astro Boy. Influenciado pela leitura de Pinóquio de Carlo Colloti e Frankenstein de Mary Shelley, Osamu Tezuka decide criar a história de Tetsuwan Atom que faz a sua primeira aparição em 1951.

     No ano 2000 a tecnologia robótica atinge o nível em que a inteligência artificial permite que andróides e robôs substituam gradualmente os humanos em todos os trabalhos, e o grande desafio da humanidade é o seu aperfeiçoamento. O doutor Boyton, eminente membro do concelho da ciência, é um brilhante professor dedicado a este trabalho, e há muito que procura criar um novo tipo de robô, um robô dotado de alma, capaz de emoções humanas.
    Depois de muitas tentativas falhadas, o seu filho Toby sugere que ele crie um rapaz robô e este incentivo do filho leva a que Boyton insista na sua pesquisa e tente encontrar uma solução para criar o seu “pinóquio”.

    Infelizmente a obcessão do doutor Boyton leva a que passe muito tempo a trabalhar e pouco tempo com o filho, de tal forma que este acaba por fugir de casa e trágicamente morrer num acidente, atropelado por um carro.
Boyton enlouquecido pela perda do filho, decide então secretamente completar o seu rapaz robô dotado da alma e coração do seu filho, este robô desperta então como Astro Boy, um robô inteligente e simpático, dotado de todas as emoções como se de um ser humano se tratasse.
    É a partir deste ponto que começam as aventuras de Astro Boy, dos seus pais “Mum” e “Dad”, e da sua irmã Uran, posteriormente criados pelo doutor Elefun que entretanto substitui o pai de Astro Boy no concelho da ciência, bem como o seu fiel companheiro de brincadeiras, Jump o cão de Toby.

    Como curiosidades, Astro Boy aparece pela primeira vez em 1960 na televisão, e durante 193 episódios a preto e branco fez as delicias de uma geração nipónica. Em 1977 enquanto director da Toei Animation Studios, e querendo realizar uma versão a cores de Astro Boy, mas não conseguindo assegurar os direitos de autor, o que só veio a acontecer em 1981, Tezuka redesenha Astro Boy e dá-lhe o nome de Jetter Mars (Jetter Marus ou Jetter Marte como ficou conhecido em Itália). Apesar das inequivocas semelhanças gráficas dos personagens e dos próprios episódios, muitas foram as vozes contra este projecto e a favor de uma nova versão de Astro Boy.

     Tezuka abandona então o projecto Jetter Mars após 27 episódios, funda a Tezuka Productions, e depois de assegurar os direitos de autor faz aparecer de novo Astro Boy em 1982 com 52 episódios divididos em 2 épocas, desta vez a cores, o que sublinha e evidencia mais esta obra do mestre que foi Osamu Tezuka.

     As primeiras imagens que ilustram este post são de Jetter Mars da Popy empresa fundada em 1971 pela Bandai e extinta em 1983, e Astro Boy da Billiken Shokai, 2 figuras de chapa litografadas com mecanismo de corda, conhecidos por Wind-up Toys.

                                                Jetter Mars, Popy - PVC 1976






2 comentários: